segunda-feira, abril 19, 2021

À espera de novo concurso, PM MT tem méd…

- Publicidade -

Sem contratar aprovados em concursos desde 2015, a Polícia Militar do Mato Grosso registra tapume de 1.500 cargos vagos. O déficit foi ressaltado pelo secretário de Estado de Segurança Pública, Alexandre Bustamante, em entrevista à rádio Conti, na segunda-feira, 29.

De concórdia com o titular da pasta, uma média de 300 profissionais deixam a corporação por ano, seja por aposentadorias, mortes, exonerações ou desligamentos em universal.

“O estado de Mato Grosso cresce 10% ao ano em média. Já na segurança nós temos, fazendo um recorte na Polícia Militar, por exemplo, uma média de inativação de 300 profissionais por ano, entre aposentadorias, mortes e expulsão. Desde que foram chamados os últimos policiais, em 2015, temos até hoje uma média de baixa de 1.500 homens”, disse o secretário.

Bustamante ressaltou que o Estado está cônscio da urgência de novos concursos PM MT para suprir as vacâncias. Porém, o orçamento é um entrave para publicação dos editais. A tendência é que isso ocorra posteriormente a pandemia.

“Não temos orçamento hoje para fazer concursos, até porque o foco do Governo é o combate à Covid-19. Depois que passar a temporada mais sátira da pandemia, poderemos planejar isso”.

Polícia Militar do Mato Grosso tem déficit de 300 profissionais
por ano (Foto: Divulgação)

Ao mesmo tempo, o governo estadual estuda alterativas tecnológicas para a Segurança Pública, para amezinhar o déficit funcional.

“Estamos estudando o tópico, vendo a possibilidade de incorporar o quadro, mas também buscando alternativas tecnológicas dentro da segurança pública, de forma que a falta de profissionais seja amenizada, não para substituir, mas para casar, com câmeras, entre outras tecnologias”, finalizou Bustamante.

No final de 2018, a Polícia Militar e os Bombeiros de Mato Grosso chegaram a formar uma percentagem para o novo concurso de oficiais. No entanto, os preparativos para seleção não chegaram a continuar.

Deputados aprovam orçamento para concursos MT

No início deste ano, deputados estaduais aprovaram uma emenda ao Orçamento do Estado para 2021 que garante recursos financeiros para realização de concursos. A emenda foi elaborada pela Percentagem de Segurança Pública e Comunitária da Parlamento Legislativa.

“Denota-se que as forças de segurança do Estado de Mato Grosso apresentam considerável déficit de servidores, situação essa que tem prejudicado a prestação de um serviço adequado e eficiente a população, apesar desta superfície (segurança pública) se constituir uma vez que um responsabilidade do Estado”, disse a Percentagem de Segurança.

De concórdia com a Lei Complementar 173/2020, só é provável realizar concursos até o final do ano para reposição de cargos que estão vagos. Para PM e Bombeiros MT há tapume de 6 milénio cargos aptos para preenchimento.

Vale ressaltar que nem todas as vacâncias poderão ser oferecidos inicialmente nos concursos PM e Bombeiros MT. Uma vez que cada corporação deverá fazer um estudo para definir o número de vagas e a viabilidade para as nomeações.

A suplente no Orçamento também não é uma confirmação que os concursos serão realizados, sobretudo porque os recursos estão destinados ao combate da pandemia. Porém, já é um vestígio de que as seleções estão no radar do governo.

Ainda não há dados sobre datas para publicações de editais, por exemplo. Além da PM e Bombeiros MT, há suplente orçamentária oriente ano para franqueza de concursos na Polícia Social do Estado e na Perícia Solene (Politec).

Comece sua preparação para o concurso PM MT

Com a possibilidade de novos concursos para PM MT, a recomendação é iniciar os estudos. 

Você sabia que a Folha Dirigida também tem cursos preparatórios? A Folha Cursos traz videoaulas exclusivas, apostilas e questões comentadas para te ajudar no caminho até a posse. 

Conheça os cursos e inicie seus estudos!

Último concurso PM e Bombeiros MT ocorreu em 2012 

O Corpo de Bombeiros e para Polícia Militar de Mato Grosso realizaram seus últimos concursos públicos em 2012. A oferta foi de 30 vagas para oficiais, sendo 27 para homens e três para mulheres.

Além da escolaridade, foi preciso ter idade entre 18 e 25 anos de idade na data da matrícula e profundeza mínima de 1,67m para o sexo masculino e 1,57m para o feminino.

A secretária organizadora foi a Covest, Diretoria de Concursos e Vestibulares da Universidade do Estado de Mato Grosso. Os concorrentes foram submetidos a prova objetiva, avaliação física. Além de avaliação psicológica, avaliação médica e odontológica e investigação social e funcional.

A prova objetiva abordou as disciplinas de: Física, Biologia, Matemática, Geografia, Língua Estrangeira, Química, História, Língua Portuguesa e Literatura. Os aprovados nas etapas ainda passaram pelo curso de formação. 

Os salários, na quadra, eram de R$3.548,94 durante o curso de formação e de R$5.467,94 posteriormente a peroração.

ARTIGOS RELACIONADOS

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -