terça-feira, abril 20, 2021

Amazonas esperava 78 milénio doses de vacina, mas recebeu só 2 milénio por verosímil ‘confusão’ de Pazuello

- Publicidade -

O Amazonas recebeu 76 milénio doses de vacina contra Covid-19 a menos do que esperava nesta quarta (24). O estado contava com 78 milénio doses enviadas pelo Ministério da Saúde, mas recebeu somente 2 milénio por conta de um verosímil erro de versão da planilha com a partilha de doses por estado. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

Desde janeiro, o sistema de saúde lugar está em crise, com falta de leitos e de oxigênio, insumo importante no tratamento da Covid-19 grave. Com isso, em menos de 2 meses de 2021, o Amazonas registrou mais mortos pela doença do que em todo ano pretérito.

O governador do Amazonas, Wilson Lima, em reportagem do jornal Folha de S. Paulo, comentou sobre a “confusão” do Ministério da Saúde no envio de vacinas contra Covid-19.

“Houve alguma confusão, a gente recebeu unicamente 2.000. Estamos ligando para o Ministério da Saúde. Acho que agora o risco de faltar [vacinas] vai ser menor. Até o termo de semana a gente deve ter outro lote. A sinalização é que até o termo de fevereiro a gente receba [vacinas] para ter um fôlego por uns 15 dias”, diz Wilson Lima (PSC), governador do Amazonas.

Uma vez que a planilha do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, mostra que o Amapá deveria receber 2 milénio doses, e não o Amazonas, o secretário de Saúde do Amapá, Juan Mendes, acredita que houve uma confusão por segmento do Ministério da Saúde.

“Essa informação está inclusive no documento de entrega do dlog [departamento de logística], mas ainda não fomos informados pelo Ministério da Saúde. Vamos esperar a instrução do ministério e procederemos de consonância com ela”, afirmou Juan.

Relembre algumas das críticas a Eduardo Pazuello

O ministro da Saúde, o general Eduardo Pazuello, tem sido mira de críticas de diversos setores por conta da gestão da pandemia de Covid-19 pelo Ministério da Saúde. A CNM (Confederação Pátrio de Municipios), entidade que reúne 5.200 prefeitos dos 5.565 municípios do país, chegou a pedir a saída do ministro “para o muito dos brasileiros”.

A FNP (Frente Pátrio de Prefeitos), que representa 412 municípios com mais de 80 milénio habitantes, também criticou o Ministério da Saúde e o governo federalista pelas falhas na gestão da pandemia de Covid-19 no Brasil, atribuindo a escassez de vacinas aos “sucessivos equívocos do governo federalista na coordenação do enfrentamento à covid-19”.

A microbiologista Natalia Pasternak criticou o detido da vacinação contra Covid-19 no Brasil, em entrevista à Mundo News. Segundo a perito, a falta de diretrizes claras do Ministério da Saúde para o PNI (Projecto Pátrio de Imunização) causará atrasos.

“É preciso desburocratizar a vacinação no Brasil para que ela possa marchar mais rapidamente. Está muito confuso. Alguns lugares pedem termo de consentimento, alguns estão vacinando rápido e já entregam a carteirinha, mas outros têm filas quilométricas e fazem um questionário”, criticou a perito.

ARTIGOS RELACIONADOS

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -