quinta-feira, fevereiro 25, 2021

Auxílio emergencial de R$ 400 será lançado para universitários da UEA em situação de vulnerabilidade no AM | Amazonas

- Publicidade -

A Universidade do Estado do Amazonas (UEA) anunciou, na terça-feira (3), o Auxílio Socioeconômico Emergencial para alunos que estão em situação de vulnerabilidade socioeconômica. O espeque financeiro de R$ 400, será outorgado para 300 alunos da capital e do interno do Amazonas, durante três meses. Em todo o estado, atividades não essenciais estão proibida de funcionar em razão do novo surto da Covid-19.

De harmonia com a instituição, o mercê é talhado aos alunos regularmente matriculados, em cursos de graduação e pós-graduação Stricto Sensu da UEA, que comprovem vulnerabilidade socioeconômica, agravada por situações emergenciais, inesperadas e momentâneas, as quais coloquem em risco a permanência e a desenlace do curso.

As inscrições ficarão abertas, exclusivamente, no portal da UEA, na categoria Seleção e Concursos/Assuntos Comunitários. Para validar o processo, os candidatos devem preencher o Questionário Socioeconômico (online) e Enviar a Documentação Comprobatória.

Todos os candidatos do Auxílio Socioeconômico Emergencial da UEA deverão justificar renda familiar bruta mensal, per capita, de até um salário mínimo e meio, e estarem regularmente matriculados em, pelo menos, uma disciplina no período letivo 2020/2.

“O mercê será outorgado, preferencialmente, aos alunos que não recebem nenhum tipo de bolsa ou auxílio estudantil”, informou a instituição.

Colapso no sistema de saúde do Amazonas

Manaus está em colapso com o progresso dos casos de Covid-19: as internações e os enterros bateram recordes, as unidades de saúde ficaram sem oxigênio e pacientes estão sendo enviados para outros estados.

  • COVID-19: Manaus vive colapso com hospitais sem oxigênio, doentes levados a outros estados, cemitérios sem vagas e toque de recolher
  • COLAPSO: Com pacientes do lado de fora, unidade de saúde fecha as portas

Por conta do cumeeira número de casos e mortes, os cemitérios precisaram instalar câmaras frigoríficas. Para frear o vírus, o governo do estado decidiu proibir a circulação de pessoas pelo período de 24h. Somente atividades estão liberadas para funcionar.

ARTIGOS RELACIONADOS

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -