Câmara aprova mudança na escolaridade de ca…

- Publicidade -

A Câmara Legislativa do Região Federalista (CLDF) aprovou, em segundo vez, o projeto de lei nº 1.735/21, que reorganiza a atual curso de Assistência Pública à Saúde e modifica os requisitos para ingresso. A votação ocorreu na quarta-feira, 23.

Com a tramitação concluída no Legislativo, a proposta vai à sanção do governador Ibaneis Rocha. O projeto de lei cria a curso de Gestão e Assistência Pública à Saúde com 14.500 postos, distribuídos da seguinte forma:

  • Exegeta em Gestão e Assistência Pública à Saúde – 6,5 milénio cargos (nível superior);
  • Assistente em Gestão e Assistência Pública à Saúde – 3,5 milénio cargos (nível médio);
  • Técnico em Gestão e Assistência Pública à Saúde – 4,5 milénio cargos (nível médio).

Os integrantes do incumbência de Técnico em Saúde (nas especialidades de Técnico de Laboratório, técnico de Nutrição, Técnico em Higiene Dental e técnico em Radiologia) ficam enquadrados no incumbência Assistente, com exigência de nível médio.

As demais especialidades de Técnico em Saúde ficam enquadradas no incumbência de Exegeta, que requer nível superior completo.

Já os integrantes do incumbência de Facilitar em Saúde passam a integrar os postos de Técnico em Gestão e Assistência Pública à Saúde. Nesse caso, a escolaridade exigida para ingresso passou do nível fundamental para médio.

Cargos da Secretaria de Saúde do Região Federalista passam por
atualização (Foto: Divulgação)

A forma de entrada a todos esses cargos é o concurso público de provas ou de provas e títulos. 

Durante a avaliação do projeto, os distritais acataram duas emendas. As alterações visam a autorizar o regime de ressarcimento, mediante folga dos serviços, aos servidores da saúde que trabalham em UPAs, CAPS, entre outros.

Assim uma vez que prometer dois períodos de férias de 20 dias aos servidores do Samu, por exemplo, o qual não existia à era da lei que criou o favor.  “Estamos reparando uma injustiça”, frisou o responsável das emendas, deputado Jorge Vianna (Podemos).

O secretário de Saúde do DF, Osnei Okumoto, lembrou que “a aprovação do projeto reforça a diretriz dada pelo governador Ibaneis de valorizar e fomentar o desenvolvimento dos servidores para ofertar uma saúde pública cada vez melhor à sociedade”.

Novo concurso SES DF já tem autorização do governo

A Secretaria de Saúde do Região Federalista recebeu autorização para realizar novo concurso SES DF. O aval, publicado no Quotidiano Solene de 8 de março, é para provimento nas carreiras de assistência pública à Saúde, cirurgião dentista, enfermeiro e médico.

Sancionada em setembro do ano pretérito, a Lei de Diretrizes Orçamentárias do Região Federalista para 2021 estima 1.680 provimentos para Secretaria de Saúde. Confira a distribuição por curso:

  • Assistência Pública à Saúde – 900 vagas, sendo 300 para perito em saúde e 600 para técnico em saúde;
  • Cirurgião dentista – 50 vagas;
  • Enfermeiro – 230 vagas, sendo 150 para jornada de 20h e 80 para 40h.
  • Médico – 500 vagas, sendo 400 para jornada de 20h e 100 para 40h.

O número de vagas disponíveis ainda depende de um levantamento feito pela Secretaria de Saúde. O cronograma do concurso SES DF, com data de publicação do edital e realização das provas, também está em elaboração.

Além das carreiras da Saúde, o governo do Região Federalista deu aval para outros concursos. Confira a lista completa!

Comece os estudos para novos concursos SES DF

Com o aval para novos concursos SES DF, a recomendação é iniciar os estudos o quanto antes. Especialistas indicam não esperar a publicação do edital para principiar a preparação.  

Você sabia que a Folha Dirigida também tem cursos preparatórios? A Folha Cursos traz videoaulas exclusivas, apostilas e questões comentadas para te ajudar no caminho até a posse.

Conheça os cursos e comece já sua preparação!

Último concurso SES DF para efetivos ocorreu em 2018

O último concurso para ingresso de efetivos na Secretaria de Saúde do Região Federalista foi desobstruído em 2018. Foram publicados quatro editais com a oferta totalidade de 416 vagas. As chances foram para níveis médio, técnico e superior.  

No nível médio, as chances eram para técnico de contabilidade e 10 para técnico de laboratório.

As demais oportunidades foram para o nível superior nos cargos de médico em diversas especialidades, além de gestor, contador, exegeta de sistemas, economista, enfermeiro, estatístico, farmacêutico, físico, fonoaudiólogo e técnico em notícia social.

Os salários, na era, foram de R$1.735,00 a R$12.654, a depender do incumbência. A carteira organizadora foi o Instituto Americano de Desenvolvimento (Iades).  

Os concorrentes foram avaliados por prova objetiva, de caráter supressório e classificatório. Os exames foram compostos por 50 questões de múltipla escolha.

As disciplinas cobradas foram: Língua Portuguesa, Raciocínio Lógico e Matemático, Legislação Aplicada aos Servidores do Governo do Região Federalista, Sistema Único de Saúde (SUS), Atualidades, e Conhecimentos Específicos.

ARTIGOS RELACIONADOS

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -