Candidatos comentam expectativas para resultado do concurso da PMPR

- Publicidade -

Candidatos de vários estados do Brasil estiveram em Curitiba e outros 27 municípios do Paraná neste domingo (13) para prestar o concurso da Polícia Militar do Paraná (PMPR), o qual oferta duas milénio vagas para policiais militares e 400 para bombeiros militares. Os locais de emprego de provas de conhecimentos gerais foram ampliados e seguiram todos os protocolos de biossegurança.

Aliás, a PM reforçou o patrulhamento nas imediações dos locais para prometer a ordem e a não aglomeração nos 379 locais de provas do Estado. Segundo o Núcleo de Concursos da Universidade Federalista do Paraná (UFPR), 155.701 candidatos se inscreveram para o concurso.

De combinação com o protocolo de biossegurança, para acessar os locais de prova os candidatos tinham que estar com máscara facial. Também era necessário ter pelo menos mais uma máscara para a troca posteriormente 3 horas e na ingresso todos passaram por mensuração de temperatura.

Foto: Soldado Adilson Voinaski Afonso

Para evitar aglomeração de pessoas e que poderiam oferecer risco de contágio aos que estavam participando do concurso, equipes da Polícia Militar foram designadas para os locais de prova e garantiram a segurança dos candidatos. Neste sentido, a operação contou com milhares de policiais militares e centenas de viaturas em todo o Paraná.

A prova é de caráter supressório e classificatório, composta por questões objetivas (60) e discursiva (redação). Os candidatos aprovados na temporada deste domingo passarão para a temporada de provas especificas, todas eliminatórias, que são Examinação de Capacidade Física (Ecafi); Examinação de Sanidade Física (Esafi); Avaliação Psicológica (AP) e Investigação Social (IS).

Posteriormente aprovação nas etapas, o candidato segue para formação e, durante oriente período, o soldado de 2º classe receberá bolsa-auxílio de R$ 1.933,63. Somente posteriormente a formação, que deve resistir tapume de um ano, ele estará capaz a ser promovido a soldado de 1ª classe e, portanto, depois de promovido passa a receber salário inicial de R$ 4.263,67.

Foto: Soldado Adilson Voinaski Afonso

Expectativa dos candidatos

A candidata Camila Belarmino da Rocha Roble é de Recife e chegou em Curitiba um dia antes, onde concorre a uma das duas milénio vagas para policial. Ela já havia tentado o concurso da Polícia Militar de Pernambuco em 2016, mas agora espera passar e atuar na segurança Pública do Paraná.

“Quero contribuir com a segurança pública de todos os paranaenses. Me preparei e estudei, por isso estou optimista que uma vaga vai ser minha”, afirmou. “Minha mãe é policial em Pernambuco e quero seguir a mesma curso dela”, acrescentou.

“Espero que meu estudo tenha resultado positivo e que eu consiga ser aprovada já em minha primeira tentativa, mas se não der evidente, vou continuar tentando para entender oriente meu objetivo, que também é um sonho vetusto, pois quero desenvolver esse trabalho tão gratificante em prol da população”, disse a candidata Gabriela Ohi, de Curitiba.  

Para Tiago Francisco de Assis, ingressar na Polícia Militar é a garantia de segurança profissional. “É uma curso promissora, que tem firmeza, muito importante principalmente pelo desemprego que temos visto na atual situação da pandemia e ou por outra tem um salário atrativo. Eu também consigo me ver uma vez que policial militar trabalhando em prol da segurança pública”.

“Já tentei o concurso duas vezes para o estado de São Paulo e agora pretendo ser aprovada cá no Paraná para realizar meu grande sonho, ser policial militar, pois quero contribuir com esta importante instituição cá do Paraná e ajudar a população”, disse a candidata do Vale do Ribeira, interno de São Paulo, Ghiovana Rocha de Oliveira.  

O candidato Adelino Santos Neto veio da Bahia e chegou em Curitiba três dias antes da data da prova. Ele já havia tentado entrar na curso militar em outros estados, pois sente que é vocacional e agora está optimista que conseguirá atuar no Paraná. “Me dediquei bastante para oriente concurso e estou optimista que vai dar evidente. Quero satisfazer todos os requisitos, respeitando os valores institucionais para atuar de forma efetiva no Estado”, ressaltou.

“Estava na expectativa de fazer essa prova, pois já venho me preparando desde o ano pretérito. É um sonho que eu tenho desde petiz, pois meus pais são militares em Minas Gerais e eu quero seguir a mesma profissão deles. Estou optimista que vai dar evidente”, disse o candidato Vinicius Cesar Ventura de Belo Horizonte

Thaysa da Rocha Brito é procedente de Curitiba, mas atualmente mora em Brasília, e agora quer prometer uma das 400 vagas para o Corpo de Bombeiros do Paraná. Segundo ela, sempre gostou da espaço militar e por ter sido casada com um bombeiro sempre presenciou muitas situações da profissão.




ARTIGOS RELACIONADOS

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -