terça-feira, junho 15, 2021

Concursos Iphan são incluídos no Planejamento Estratégico at…

- Publicidade -

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Vernáculo (Iphan) publicou na quarta-feira, 19, o Planejamento Estratégico de 2021 a 2024. Entre as metas está o preenchimento do quadro de pessoal por concursos.

O órgão planeja aumentar o número de servidores em todos os anos do planejamento estratégico. De forma a reduzir o número de comissionados e suprir as carências de profissionais efetivos, por aposentadorias, mortes, exonerações e desligamentos em universal.

Conforme o incluído II da portaria 23, de 17 de maio, entre os objetivos do Iphan no período está “Preencher por concurso 20% ao ano em todos os anos do planejamento estratégico 2021-2024”.

O preenchimento das vacâncias poderá ocorrer por meio do convocação dos aprovados no concurso Iphan 2018, que ainda está em validade. Ou pela publicação de um novo edital.

No início deste ano, o Instituto protocolou um pedido para convocação de aprovados no cadastro de suplente. A solicitação está em estudo no Ministério da Economia.

Iphan propõe ingresso regular de servidores por concurso público
(Foto: Divulgação/Iphan)

De tratado com o documento, ao qual Folha Dirigida teve chegada, depois de um estudo da força de trabalho do Iphan, foi identificada a premência de solicitar a autorização para o provimento dos inscritos classificados e não convocados para os cargos efetivos. 

O documento ainda informa que o déficit de pessoal do instituto pode gerar consequências quanto ao tempo de resposta aos processos de licenciamento, a formação de projetos pendentes de estudo e aprovação, com grave impacto sobre o curso das obras e, ao final, com prejuízos para o desenvolvimento do país. 

Último concurso Iphan teve oferta de 411 vagas

O edital do concurso Iphan foi publicado no junho de 2018, oferecendo vagas em contextura vernáculo. Em decorrência da pandemia do Coronavírus, o prazo de validade da seleção foi suspenso, favorecendo novas nomeações em momento oportuno.

A oferta do concurso foi de 411 vagas imediatas. Desse quantitativo, 131 foram para facilitar institucional, de nível médio, 176 para técnico I e 104 para exegeta I, ambos de nível superior. 

As chances foram destinadas aos 26 estados mais o Região Federalista. Os salários, na estação, foram de R$3.877,97 (nível médio) e R$5.493,29 (nível superior).

O concurso acumulou mais de 65 milénio inscrições. Uma das nomeações de aprovados ocorreu em agosto de 2019, quando o instituto recebeu aval do Ministério da Economia para convocar 131 aprovados no função de nível médio.

Na ocasião, a logo presidente do Iphan, Kátia Bogéa, destacou a chegada dos novos servidores porquê ’vitória’ para o órgão.

“Com esse reforço institucional, a autonomia ganha fôlego para treinar suas diversas atribuições e, sobretudo, confere prontidão e qualifica a sua atuação no licenciamento ambiental, que foi uma das motivações para autorização do concurso”.

Mantenha seus estudos para concursos públicos

Com a possibilidade de novos concursos Iphan, a recomendação é manter a preparação para as provas. Não espere o edital ser publicado para estrear os estudos.

Você sabia que a Folha Dirigida também tem cursos preparatórios? A Folha Cursos traz videoaulas exclusivas, apostilas e questões comentadas para te ajudar no caminho até a posse.

Conheça os cursos e comece já sua preparação!

Concurso Iphan teve provas objetivas, discursivas e de títulos

Os candidatos do concurso Iphan foram avaliados por provas objetivas e discursivas, além de avaliação de títulos. Todas as etapas foram aplicadas nas 26 capitais dos estados brasileiros e no Região Federalista. A secretária organizadora foi o Cebraspe.

Confira inferior porquê foram as etapas:

Prova objetiva

As provas objetivas tiveram 120 questões, sendo 50 de Conhecimentos Básicos e 70 de Conhecimentos Específicos. Veja as disciplinas básicas para todos os cargos:

  • Língua Portuguesa;
  • Fundamentos da Preservação do Patrimônio Cultural
  • Noções de Gestão e Gestão Pública;
  • Atualidades. 

As provas foram na estrutura de ‘claro’ ou ‘falso’, em que um erro significa a perda dos pontos dos acertos. Os exames valeram 120 pontos. 

Foi desclassificado quem atingiu nota subalterno a 10 pontos em Conhecimentos Básicos, 21 pontos em Conhecimentos Específicos e 36 pontos no conjunto das provas objetivas. 

Prova discursiva 

No mesmo dia das provas objetivas, foram aplicados os exames discursivos para todos os níveis de escolaridade. Os inscritos tiveram que elaborar um texto dissertativo com até 30 linhas. A prova valeu, no supremo, 40 pontos.

Avaliação de títulos

Unicamente os concorrentes de nível superior classificados nas provas objetivas e discursivas foram convocados para a terceira lanço do concurso Iphan: avaliação de títulos.

Foram verificados documentos que comprovassem especializações e manobra de atividade autônoma profissional de nível superior na Gestão Pública ou na iniciativa privada em cargos conforme conhecimentos específicos da prova objetiva da dimensão a que concorre.

A pontuação máxima foi de 14, ainda que a soma dos valores dos títulos apresentados seja superior a esse valor.

Para participantes de nível superior a nota final do concurso Iphan foi a soma das pontuações obtidas nas provas objetivas, discursivas e de títulos.

Enquanto para os concorrentes de nível médio, a nota final foi o somatório unicamente dos exames objetivos e discursivos. 

ARTIGOS RELACIONADOS

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -