sexta-feira, junho 25, 2021

Confira quem terá aproximação ao Auxílio Emergencial do Estado de Santa Catarina

- Publicidade -

Já são diversos os auxílios emergenciais que surgem nos estados e municípios. Tal ocorrência se dá em razão da vazio que a crise econômica vem criando nos lares brasileiros. Nesse sentido, portanto, unicamente o Auxílio Emergencial federalista acaba não suprindo toda a demanda.

Dessa forma, é necessário relembrar que o mercê federalista desse ano sofreu um enxugamento, quando com confrontação com 2020. Além dos valores de R$ 600,00 e R$ 1.200,00 que diminuíram para R$ 150,00, R$ 250,00 e R$ 375,00, as exigências foram maiores.

Portanto, o Ministério da Cidadania já demonstrou que 2020 soma o número de mais de 68 milhões de beneficiário. No entanto, o presente ano demarca a quantia de 39 milhões de pessoas que já receberam a primeira parcela.

O Auxílio Catarina, logo, em conjunto com outros benefícios locais, poderá atender aqueles em que o Governo Federalista não chegou.

Quem terá aproximação ao Auxílio Catarina

Por meio de publicação solene no Quotidiano Solene, o Governo do Estado de Santa Catarina instituiu a Medida Provisória 240/2021. Esta, por sua vez, regulamenta o programa chamado de Auxílio Catarina, que possui a intenção de atender mais de 60 milénio famílias em situação de vulnerabilidade econômica e social. Assim, será verosímil resguardar aqueles que sofrem com os impactos da crise econômica e sanitária da pandemia da Covid-19.

Assim, há a autorização do recebimento do mercê por um grupo específico. Serão eles:

  • Profissionais demitidos entre o período de 19 de março de 2020 a 19 de maio de 2021.
  • Famílias de baixa renda que não estejam inscritas no Programa Bolsa Família ou no Mercê de Prestação Continuada (BPC).

“Em Santa Catarina existem milhares de pessoas que perderam seus empregos e famílias que vivem em situação de extrema pobreza em função do impacto econômico devastador causado pela pandemia. Por isso, a geração do Auxílio Catarina é uma ação do Governo do Estado de máxima urgência. Ao mesmo tempo em que avançamos no processo de vacinação e na garantia de largo atendimento no sistema de saúde, é fundamental que o Estado dê suporte financeiro aos mais necessitados”, relatou a governadora interina, Daniela Reinehr, quando ainda estava em tirocínio.

Assim, aproximadamente 43 milénio famílias cumprem os critérios para o recebimento do mercê, que será pago através de três parcelas mensais de R$ 200. Já trabalhadores que exerciam sua atividade em setores relacionados à sustento, promoção de eventos e turismo, poderão receber duas parcelas de R$ 300.

Por termo, a Secretaria de Estado e Desenvolvimento Social, juntamente com a Secretaria de Estado da Rancho, ainda definirá as datas sobre a realização dos pagamentos. Dessa forma, o correrá o investimento de tapume de R$ 38 milhões para o mercê estadual.

Carlos Moisés estuda reformulação de mercê doado por Daniela Reinehr

Depois indulto em um novo pedido impeachment, Carlos Moisés retorna ao principal posto de governador do Estado de Santa Catarina. Nesse sentido, o gerente do Executivo estadual vem reunindo, nos últimos dias, sua equipe para tratar de alguns mudanças ocorridas durante sua pouquidade, dentre elas, o Auxílio Catarina.

Desse modo, o mercê estadual foi uma das últimas medidas com aprovação por Daniela Reinehr. O governador Carlos Moisés, no entanto, as criticou, declarando que poderá realizar modificações no programa.

“Da forma uma vez que está, a medida exclui quem recebe qualquer tipo de auxílio do Governo Federalista, o que no nosso entendimento reflete grande secção da população de Santa Catarina”, esclarece o governador.

Assim, o auxílio prevê o direcionamento da quantia totalidade de R$ 600 para famílias e trabalhadores do ramo do entretenimento e eventos. Paulo Eli, Secretário da Rancho, informou, que na última terça-feira, dia 11, um grupo técnico se reuniu para estudar possíveis modificações que poderão se empregar no mercê.

O governador retorna dando prioridade a medidas de combate à pandemia

Depois seu retorno, Carlos Moisés deu prioridade máxima na solução da geração de programas social de ajuda durante a pandemia. Nesse sentido, o governador vem se empenhando na tentativa de atualizar projetos importantes. Demais, também vem dando grande atenção a ações de enfrentamento da pandemia e a ininterrupção do projecto de vacinação.

“Temos um time hipotecado e, reconhecidamente, responsável pelos bons resultados da gestão estadual. Vamos, agora, retomar com força totalidade os projetos importantes e açodar as entregas do governo à população. Neste momento, os secretários vão entender e se inteirar dos movimentos que ocorreram e, a partir das informações, tirar do papel obras e ações com a maior desembaraço”, afirmou o mesmo.

O logo governador, ainda completou, dizendo que as ações implementadas irão gerar uma aproximação e o fortalecimento de laços com os municípios. Vestimenta levante que acontecerá também através da transferência de recursos aos municípios destinados a realização de obras, outra medida que ele defende e deverá intensificar.

Governo de Santa Catarina realiza reuniões para tratar sobre Auxílio Emergencial

Secretaria de Estado da Rancho, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federalista, realizaram terça-feira, dia 11, um encontro para tratar de questões relacionadas a mudanças e alterações no Auxílio Catarina. Isto é, o mercê estadual criado pelo governo do estado talhado a família carentes que estejam em situação de vulnerabilidade econômica e social. Logo, a intenção do encontro foi de discutir uma vez que os valores dos benefícios serão pagos.

“Pedimos à Rancho que una todos os esforços para dar desembaraço a esse processo e atender a todos aqueles que tanto necessitam. É um projeto urgente e que precisa andejar sem burocracias”, ressalta o governador do estado.

De pacto com o secretário da Rancho, Paulo Eli, as primeira reuniões se organizaram com o intuito de estudar propostas mais viáveis para a realização do mercê. Segundo ele, o governo tem a intenção de atender todas as pessoas que estejam em situação de vulnerabilidade e trabalhadores que perderam seus empregos devidos aos estragos causados pela crise econômica provocada pela pandemia da Covid-19.

Além deste programa de ajuda, transita na Plenário Legislativa de Santa Catarina (Alesc) uma proposta direcionada aos microempreendedores individuais (MEIs) e micro e pequenas empresas (MPEs).

Os fundos para realização dos programas serão financiados através do Badesc e do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE). Demais, o valor totalidade do montante direcionado ao mercê deverá ser de aproximadamente R$ 1,5 bilhão.

Aliás, o governo do estado de Santa Catarina ficará responsável em arcar com as taxas de juros, investindo aproximadamente uma quantia de R$ 205 milhões.

ARTIGOS RELACIONADOS

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -