segunda-feira, abril 19, 2021

Crestomatia Tocantina 2021 aprovada no edital da Lei Aldir Blanc no Tocantins abre inscrições – Conexão Tocantins

- Publicidade -

Revelar novos nomes da trova no Tocantins e resgatar os já conhecidos, traçando um quadro atual da cena literária desse gênero no Estado. Essa é a proposta da Crestomatia Tocantina 2021 – José Gomes Sobrinho, de autoria do jornalista, jornalista e gestor cultural Ronaldo Teixeira, um dos aprovados no Edital de Literatura da Lei Aldir Blanc no Tocantins. Com matrícula gratuita e online, no link https://forms.gle/kF4KUvfXErjmoJNE7 e premiação em quantia para os cinco (05) primeiros colocados, o projeto resultará no lançamento de um livro-antologia em outubro desse ano em Palmas, capital. Mais informações pelo e-mail [email protected]

Cada participante poderá participar com até cinco (05) poemas inscritos. A única exigência é a de que os mesmos não tenham sido até portanto divulgados no meio impresso (livro individual/coletânea/florilégio). A seleção desses trabalhos com participação gratuita, será por meio de um formulário específico na internet durante três (03) meses – abril, maio e junho – com divulgação nas redes sociais e rádio, depois, apuração, e edição do livro-antologia e seu lançamento na Capital do Estado, Palmas, com premiação de placas de honra ao préstimo e em quantia para os cinco primeiros colocados. Além dos trabalhos poéticos produzidos por nossos talentos tocantinos, conterá ainda duas (02) páginas dedicadas ao poeta e jornalista José Gomes Sobrinho, sendo, uma página contendo foto e biografia e outra contendo um poema do mesmo, porquê forma de homenagem póstuma, visto que o mesmo foi um figura incomparável no cenário cultural do Tocantins e faleceu em 2004.

A premiação se dará da seguinte forma: 1º lugar: placa de honra ao préstimo + R$ 2.500,00; 2º lugar: placa de honra ao préstimo + R$ 2.000,00;  3º lugar: placa de honra ao préstimo + R$ 1.500,00;  4º lugar: placa de honra ao préstimo + R$ 1.000,00; e 5º lugar: placa de honra ao préstimo + R$ 500,00. Pela participação, cada  poeta ou poetisa selecionado receberá porquê forma de pagamento, três (03) exemplares da respectiva Crestomatia, por cada trabalho publicado, além de ter a satisfação pessoal de ver seu trabalho impresso e  sendo uma oportuna vitrine identitária do nosso Estado. Outrossim, cada um dos 139 municípios tocantinenses que tiver interesse, irá lucrar três (03) exemplares da Crestomatia, a título de divulgação do projeto, bastando para isso fazer sua solicitação via e-mail [email protected] e retirar com o proponente em Palmas, sua quinhão.

Segundo Ronaldo Teixeira, “Observando que é grande o número de poetas no Estado do Tocantins, haja vista a enorme quantidade de inscrições que aconteceram em projetos literários estaduais e municipais, a exemplo das várias edições da Bolsa de Publicações Maximiano da Matta Teixeira,do Governo do Estado, do Concurso Benjamim Rodrigues de Verso Falada (que se encontra em sua décima-segunda edição em Gurupi e tem 2 antologias publicadas), do extinto Prêmio SESI de Verso, do Concurso Lysias Rodrigues de Literatura, de Palmas, dentre outros, que chegavam a ter quase milénio trabalhos inscritos anualmente, e porquê a maioria – para não proferir quase todos – desses projetos foram extintos ou encontram-se sem qualquer perspectiva de novas edições, e a dificuldade latente de um responsável publicar seu livro, é que idealizei nascente projeto, porquê forma de incentivar e resgatar a autoestima de nossos poetas e poetisas tocantinos”, ressaltou.

Ainda segundo o proponente, a iniciativa é válida também porque igual ação foi feita ainda em 1994, quando do lançamento da florilégio Poesias do Tocantins – Sessenta e Seis Poemas Escolhidos,  pelo Governo do Estado por meio do Departamento de Cultura da Secretaria de Estado da Ensino, Cultura e Desporto. “Desde portanto, zero foi feito nesse sentido no estado. O momento é oportuno para se fazer uma radiografia do que se anda produzindo em trova pelo Tocantins”, finalizou.

José Gomes Sobrinho (In Memoriam)

José Gomes Sobrinho (Garanhuns-PE, 1935 — Palmas-TO, 2004) também divulgado porquê Zé Gomes, foi um poeta, músico e jornalista brasiliano, membro das Academias Palmense e Tocantinense de Letras. Foi também presidente do Fórum Pátrio de Conselheiros Estaduais de Cultura. Em julho de 2010, o portanto presidente Luiz Inácio Lula da Silva, sancionou a lei 12.287 que leva o seu nome, e possibilita o ensino da arte e cultura regional na instrução básica, numa teorema do portanto deputado federalista, hoje senador e também rebento de José Gomes Sobrinho, Eduardo Gomes.

Ronaldo Teixeira

Ronaldo Coelho Teixeira, poeta, jornalista e jornalista cearense, radicado no Tocantins. Por quatro (04) vezes foi ganhador da Bolsa Maximiano da Matta Teixeira, do Governo do Tocantins (inclusive, o último edital ProCultura, de 2013, ainda não pago pelo Estado), formatando, ele mesmo, todos os projetos literários de sua autoria, porquê Visuautoretrato, sobre a vida e obra do artista plástico Mauro Cunha (In Memorian), que ficou porquê suplente (https://central3.to.gov.br/registro/276254/) e Agenda Tocantina 2015 (https://central3.to.gov.br/registro/276266/); Formatou e emplacou outros projetos em outras áreas para diversos artistas, porquê de Música, do cantor e compositor Dorivã “Folia Dourada” – Gravação de CD de Música (https://central3.to.gov.br/registro/276224/) e também de Chiquinho Chokolate. Formatou o Projeto Meninos do São João, do cantor Dorivã, no edital Itaú/Unicef 2015/2016, que chegou a ser finalista em Goiânia, Goiás. (https://premioitauunicef.cenpec.org.br/finalista-e-semi/11a-edicao-2015-2016-semifinalistas/); formatou o projeto “Feira de Cá – Keila Lipe Interpreta Sucessos Tocantinenses nas Feiras de Palmas”, ratificado no Promic 2019; formatou o projeto “Chico Fran Entre Amigos”, do referido cantor e compositor, ratificado no edital de Música da Lei Aldir Blanc no Tocantins.

Participou ativamente do movimento cultural em Gurupi e no Estado do Tocantins, desde à era de Goiás, atuando porquê mentor municipal de Cultura e presidente da Associação de Artes de Gurupi (AAG). Atuou porquê coordenador de Arte e Cultura na Instalação Cultural de Gurupi e depois Secretaria Municipal de Cultura de Gurupi, entre 2005 e 2012, quando formatava e realizava projetos culturais dos mais diversos, porquê festivais de música, concursos de trova, festejos juninos, fóruns municipais e intermunicipais de Cultura. Inclusive, emplacou um financiamento a fundo perdido de R$ 110 milénio reais junto ao Governo Federalista, para compra de equipamentos e instrumentos musicais para a Instalação Cultural de Gurupi em 2010, por meio da plataforma Siconv.

Lei Aldir Blanc no Tocantins

A Lei Aldir Blanc (Projeto de Lei 1.075/2020) objetivou aos municípios a possibilidade de gerarem renda mensal emergencial de R$ 600 aos trabalhadores do setor, subsídios para a manutenção de espaços artístico-culturais e a promoção de instrumentos porquê editais e prêmios, entre outros. O montante aplicado pelo Ministério do Turismo por meio da Secretaria Próprio da Cultura – mas não utillizado por todos os municípios brasileiros, infelizmente – é um tanto inédito na história dos investimentos públicos na extensão da Cultura, além de simbolizar um auxílio extremamente necessário aos agentes da Cultura nesse momento de pandemia. Foram R$ 3 bilhões em recursos para todo o país. Para o Tocantins, o repasse foi de R$ 35.137.985,22, segundo o Governo do Tocantins, por meio da Dependência do Desenvolvimento do Turismo, Cultura e Economia Criativa (Adetuc), disponível no link https://adetuc.to.gov.br/noticia/2020/10/7/conselho-de-politica-cultural-discute-edital-estadual–para-acesso-aos-recursos-da-lei-aldir-blanc/.

ARTIGOS RELACIONADOS

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -