segunda-feira, maio 17, 2021

Deputado propõe atendimento às pessoas com dislexia em concursos

- Publicidade -

 

A proposta, segundo o responsável, é uma forma de oferecer a concorrência igualitária entre os candidatos | Foto: Divulgação

Tempo suplementar, sala diferenciada e profissional leitor e transcritor estão entre os atendimentos especializados propostos pelo Presidente da Parlamento Legislativa do Amazonas, deputado Roberto Cidade (PV), às pessoas com dislexia que participarem de concursos públicos e vestibulares no contextura do Estado.

A proposta, segundo o responsável, é uma forma de oferecer a concorrência igualitária entre os candidatos, tanto de ampla concorrência, quanto aos acometidos com o transtorno específico de aprendizagem, popularmente divulgado uma vez que dislexia.

“Segundo estudos, a dislexia atinge murado de 15 milhões de brasileiros e 5 a 17% da população mundial. Números que precisam ter um olhar e atenção diferenciados do Poder Público, muito uma vez que, a adoção de políticas que visem amenizar a dificuldade dessas pessoas e uma dessas atenções é quanto a concorrência em concursos e vestibulares”, justificou.

Roberto Cidade destacou ainda no Projeto de Lei (PL), as diretrizes adotadas pelo Ministério da Instrução na realização do Inspecção Pátrio do Ensino Médio (Enem).

“Assim uma vez que o Ministério da Instrução assegura aos estudantes disléxicos o atendimento especializado, também, o Poder Público precisa prometer esse recta às pessoas com dislexia que pretendem concorrer a uma vaga em concursos públicos e vestibulares. Dessa forma, é afastada qualquer tipo de barreira discriminatória e excludente, explicou.

Atendimento Especializado

Entre os atendimentos especializados, o PL assegura aos inscritos com dislexia, tempo suplementar de uma hora para a realização das provas, profissional leitor para facilitar na leitura das provas aos candidatos, profissional transcritor para facilitar na escrita e preenchimento do cartão-resposta e sala diferenciada aos candidatos que solicitarem o leitor e transcritor.

Importante ressaltar que para o atendimento especializado, o candidato deverá solicitar no ato da letreiro e mediante comprovação, através de laudo médico e/ou profissional especializado, serem disléxicos.

 *Com informações da assessoria

Leia Mais:

Vereador solicita auxílio aos feirantes das galerias populares

João Luiz propõe CNH Social para mototaxistas do interno do Amazonas

Câmara autoriza Semef a ampliar beneficiários do ‘Auxílio Manauara’

ARTIGOS RELACIONADOS

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -