segunda-feira, maio 17, 2021

Dor na pilastra motiva o maior número de liberações de auxílio-doença

- Publicidade -

Você já sentiu uma dor na pilastra? Para boa segmento das pessoas que estão lendo esse cláusula a resposta vai ser sim. É que esse é um tipo de incômodo muito generalidade nos dias atuais. E isso não é dissemelhante no mundo do trabalho. A dor nas costas foi o maior motivo de concessões do auxílio-doença em 2020.

Pelo menos é o que apontam os dados da Secretaria Privativo da Previdência e Trabalho. De negócio com esses dados, a famosa dor na pilastra foi responsável pelo auxílio-doença em mais de 49 milénio oportunidades durante todo o ano de 2020. Foi o maior motivo para a licença desse auxílio.

Em segundo lugar vem a dor no ombro, com muro de 37 milénio pedidos. Essa dor foi mais generalidade em trabalhos mais pesados da construção social. Normalmente, esses trabalhadores convivem com a rotina diária de carregar muito peso. A dor regular dá ao trabalhador o recta de receber o favor em questão.

Em terceiro lugar em 2020 vieram as doenças que possuem relação com a Covid-19. São pessoas que tiveram que se distanciar do trabalho por razão das sequelas do coronavírus. De negócio com a Secretaria, o INSS concedeu em 2020 muro de 37 milénio auxílios para leste tipo de doença.

Desses 37 milénio, muro de 36 milénio foram o auxílio-doença previdenciário. É aquele caso onde o empregado precisa se distanciar do trabalho. Exclusivamente muro de 180 casos foram por acidente de trabalho. Isso acontece quando se considera que o trabalhador pegou a doença por razão do trabalho. Normalmente a licença desse auxílio vai para profissionais da superfície da saúde.

Auxílio por estados

O estado de São Paulo foi o que mais registrou casos de liberações do auxílio-doença por razão da Covid-19. Foram muro de 11 milénio. Isso é portanto quase o duplo do segundo disposto. São Paulo é o estado mais populoso da federação. É também o que mais registra casos diários da Covid-19.

A segunda posição fica com o Região Federalista. A capital federalista registrou em 2020 muro de seis milénio concessões do auxílio-doença por razão da Covid-19. Isso é muito mais do que o registro dos terceiros colocados, Minas gerais, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. Esses três estados ficaram na lar das duas milénio liberações.

O estado que menos registrou essas liberações do auxílio foi o Acre. Durante todo o ano de 2020, eles só registraram 73 liberações do auxílio para casos de Covid-19. Mas isso provavelmente tem mais relação com a baixa população do estado do que com qualquer outra coisa.

No caso da Covid-19

Muita gente ainda tem dúvidas sobre a licença do auxílio-doença para os casos da Covid-19. A principal incerteza é sobre o caráter ocupacional da doença. É que atualmente, a Covid-19 não é uma doença ocupacional. Portanto não se pode expressar que ela é uma doença trabalhista.

Seja uma vez que for, isso não impede que o trabalhador receba o auxílio-doença por razão dela. Em alguns casos, aliás, ele pode receber até uma indenização. O trabalhador vai conseguir esse moeda sempre que conseguir provar que contraiu a Covid-19 no seu serviço.

Para provar isso, ele vai precisar mostrar que o seu empregador não estava fazendo o provável para evitar a contaminação dentro do envolvente do trabalho. Se ele não distribui máscaras ou não exige o uso regular do álcool em gel, por exemplo, ele pode finalizar ganhando um processo na Justiça do Trabalho. 

ARTIGOS RELACIONADOS

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -