terça-feira, abril 20, 2021

O sinistro de Mariana: resumo de Atualidades

- Publicidade -

O sinistro de Mariana: tudo aquilo que você precisa saber

O sinistro de Mariana representa a maior tragédia ambiental de toda a história do Brasil. Consequências do evento podem ser sentidas até os dias de hoje, principalmente no município de Mariana.

A tragédia aparece nas mais variadas questões de Atualidades de todo o país, com um destaque para a prova do ENEM e para as provas de segunda período de alguns vestibulares.

Assim, é fundamental que você domine as principais características do sinistro de Mariana para prometer um cumeeira desempenho em suas provas.

O sinistro de Mariana: Definição

O chamado sinistro de Mariana aconteceu na cidade de Bento Rodrigues, no estado de Minas Gerais, em 5 de novembro de 2015. O evento é considerado a maior tragédia ambiental da história do Brasil.

O sinistro de Mariana: Antecedentes

A exploração de minério de ferro é uma atividade econômica muito importante para Minas Gerais, sobretudo na região do Quadrilátero Ferrífero, em que se encontra a maior produção de minério de ferro do país (murado de 60% da produção do país). Em Mariana, por exemplo, 80% dos impostos arrecadados pelo estado vinham possuíam origens nessa atividade.

Dessa forma, podemos declarar que é evidente que existem interesses econômicos das grandes empresas responsáveis por essa exploração na região.

Porém, as empresas nem sempre cumprem com os protocolos de segurança ambiental. Uma questão que foi muito discutida na idade do sinistro e que ainda persiste nos dias de hoje é que as barragens de Mariana, controladas pela mineradora Samarco e a empresa Vale, não haviam sofrido nenhum tipo de manutenção, o que as tornava extremamente perigosas mesmo antes do sinistro.

O sinistro de Mariana: O rompimento da barragem

O sinistro de Mariana foi provocado pelo rompimento da Barragem do Fundão, no qual eram depositados os rejeitos de minério de ferro explorados pela empresa Samarco Mineração S.A. A empresa faz secção do grupo que concentra as maiores empresas de mineração do mundo, controlado pela brasileira Vale S.A. e pela anglo-australiana BHP Billiton.

O rompimento aconteceu no província de Bento Rodrigues, a 35 km do meio do município de Mariana, em Minas Gerais. Com o rompimento da barragem, mais de 60 milhões de metros cúbicos de vasa e rejeitos da produção de minério de ferro foram despejados no meio envolvente.

O sinistro não atingiu somente a cidade de Mariana província de Bento Rodrigues: os dejetos avançavam pelo Rio Gulodice e alcançavam diversos municípios da região, destruindo plantações, residências e pastagens. A enxurrada de vasa continuou avançando por diversos dias e percorreu mais de 600 quilômetros até chegar no mar.

O sinistro de Mariana: Consequências

Ao todo, 19 pessoas perderam suas vidas. Muitos animais também acabaram morrendo no sinistro. Ou por outra, muitas pessoas ficaram feridas e centenas ficaram desalojadas.

O Rio Gulodice foi profundamente afetado pelas substâncias tóxicas que estavam presentes nos dejetos. Até os dias de hoje, o Rio não mais consegue participar da produção de mantimentos uma vez que antigamente.

O provisão de chuva potável na região também foi afetado. Ou por outra, a pesca, atividade fundamental para o província, praticamente não mais existe. Também, toneladas de peixes que viviam no Rio Gulodice morreram. Os solos que eram irrigados pelo rio foram também contaminados e inteiras de lavoura foram destruídas.

ARTIGOS RELACIONADOS

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -