quarta-feira, maio 5, 2021

Para estudar: Entenda a Guerrilha do Araguaia 

- Publicidade -

A “Guerrilha do Araguaia” foi um conflito armado entre comunistas e o tropa brasiliano. O combate ocorreu no Tocantins entre 1972 e 1974. 

O país estava sob o Governo Médici (1969 – 1974) a ditadura apresentou os anos mais duros da repressão aos seus opositores.

Os militares realizam prisões com informações obtidas por meio da tortura para conseguir desarticular movimentos de esquerda que lutavam contra os militares. 

Todavia, os esquerdistas utilizavam-se de meios zero convencionais para derrubar o governo. Alguns movimentos realizam passeatas em cidades, outros sequestravam diplomatas para invocar a atenção do povo. 

Existia também grupos que inspiravam-se na resistência vietnamita na Guerra do Vietnã, assim porquê pela Revolução Cubana liderada por Fidel Castro e Che Guevara.

Por isso utilizavam-se de guerrilha rústico porquê resistência e combate ao regime militar, ou por outra usavam a tática de guerrilha rústico usada por chineses. 

A partir daí, militantes de esquerda filiados ao PCdoB (Partido Comunista do Brasil) recebem treinamento militar e adentram a região conhecida porquê “Ponta do Papagaio” entre os estados de Goiás, Pará, Maranhão, às margens do rio Araguaia. 

A Guerrilha do Araguaia tornou-se um tema recorrente no Enem e demais vestibulares, por isso vale a pena permanecer ligado no matéria, acompanhe o item e saiba mais. 

Guerrilha do Araguaia: Reação do tropa

O Tropa brasiliano logo que soube das investidas comunistas foi deslocado para a região. No início mandaram soldados iniciantes, no entanto, ao perceberem que o problema era mais sério, o tropa enviou tropas mais preparadas. 

A população que habitava a região sofreu com as ações do tropa em procura de informações sobre a guerrilha comunista através de intimidação e tortura. 

O tropa e a polícia militar em três ações utilizaram ao menos 3.500 e 20 milénio homens. Ou por outra, a Percentagem da Verdade admitiu que usou napalm para combater os esquerdistas. 

Em contrapartida, os comunistas contavam com um grupo de quase 100 pessoas que buscavam o esteio da população para fortalecer a luta. 

A Guerrilha do Araguaia pode ser dividida em três fases de conflitos, veja aquém cada uma delas. 

Primeiro conflito

As Forças Armadas começaram o ataque em 12 de abril de 1972 de maneira a surpreender os guerrilheiros. 

A pouca experiência dos soldados e a pouca interação com a comunidade lugar, encerraram a primeira investida em julho do mesmo ano. O resultado apresentou o totalidade de 4 guerrilheiros assassinados e 6 presos. 

Segundo Conflito

No segundo semestre de 1972 aconteceram mais conflitos nos meses de setembro e outubro. 

Apesar do enorme arsenal militar deslocado para o território, os guerrilheiros e camponeses continuaram ativos na luta. Por isso, quando o tropa partiu em retirada os comunistas fizeram uma grande sarau. 

Terceiro conflito

As Forças Armadas resolveram mudar de tática, usando espiões do Núcleo de Informações do Tropa (CIE). 

Os agentes infiltrados conseguiram informações do população lugar, porém, algumas vezes utilizaram-se da tortura para obter informações. 

Quase 20 pessoas sumiram em dois anos de ações militares, assim porquê centenas foram interrogadas de maneira violenta. 

Os soldados abriram estradas operacionais, expulsaram moradores da dimensão, assim porquê destruíram plantações e casas por considerar o povo porquê cúmplices dos guerrilheiros. 

Os guerrilheiros acabaram cercados e não tiveram chances contra a experiência dos soldados, o último ataque aconteceu em outubro de 1974, quando a última guerrilheira encontrada acabou morta. 

Termo da Guerrilha do Araguaia

Em março de 1975, o presidente Ernesto Geisel enviou uma missiva ao Congresso dizendo que a Guerrilha do Araguaia estava completamente reduzida. 

Algumas prisões aconteceram e muitos guerrilheiros foram mortos, vale primar que não existiam prisioneiros de guerra, os guerrilheiros simplesmente sumiram. 

Por conta da roteiro no Araguaia, os esquerdistas desistiram da guerrilha rústico para combater os militares. Por fim, os esquerdistas estavam cada vez mais repreendidos e desarticulados pela ditadura militar. 

E logo, gostou de saber um pouco mais sobre a Guerrilha do Araguaia?

Não deixe de ler também – México: 4 fatos importantes sobre o país.

ARTIGOS RELACIONADOS

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -