segunda-feira, junho 14, 2021

Polícia Militar libera primeiro lote de restituição da taxa do concurso anulado em 2018 por fraude | Tocantins

- Publicidade -

A PM resolveu usar o critério de ordem alfabética para estabelecer a ordem de restituição neste primeiro lote. Serão contemplados os candidatos, cujos nomes começam com as letras de A – D.

Segundo a PM, as informações bancárias destas pessoas foram encaminhadas para a instituição financeira que vai validar os dados para ulterior pagamento. O tempo para que o crédito seja disponibilizado em conta vai depender da estudo do banco.

A PM afirmou ainda que poderá ter “inconsistências de dados lançados pelos próprios candidatos no sistema, o que acarretará na não efetivação da restituição dos valores”.

Neste caso, ainda segundo a corporação, o banco vai informar os problemas e os candidatos serão avisados pela percentagem de restituição da taxa. A PM não informou porquê esse aviso será feito.

No final do ano pretérito a PM lançou um site para restituição das taxas do concurso. Todo o processo foi realizado de forma virtual. Os candidatos precisavam acessar o link e preencher todas as informações solicitadas, incluindo os dados bancários.

Segundo a PM, menos da metade dos inscritos solicitaram a restituição dos valores. Um levantamento apontou que há 3.764 solicitações completas de pessoas que se inscreveram no curso de formação de oficiais e 18.999 solicitações completas de inscritos no torneio para o curso de formação de soldados.

O totalidade de 22.763 solicitações corresponde a aproximadamente 30% do totalidade de inscritos.

O concurso foi anulado em abril de 2019. As provas do concurso foram aplicadas no dia 11 de março de 2018. Foram oferecidas 1 milénio vagas para soldado e mais 40 para solene da PM. Ao todo, mais de 70 milénio pessoas fizeram as provas em 17 cidades.

As provas acabaram sob suspeita de fraude depois celulares com gabaritos parciais das provas serem encontrados. Posteriormente uma investigação interna, 23 candidatos foram eliminados por suposta participação no esquema.

O MPE chegou a pedir que o concurso fosse anulado antes da decisão ser tomada pelo próprio comando da PM. As inscrições custaram R$ 80 para o função de soldado e R$ 120 para o função de solene.

ARTIGOS RELACIONADOS

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -