terça-feira, junho 15, 2021

Porquê foi o último concurso TJ SP?

- Publicidade -

O concurso TJ SP
enfrentou recentemente um problema judicial que poderia impedir a orifício de um novo concurso.

O roupa se deu por justificação de uma liminar de segurança impetrada por candidatos do último concurso TJ SP que ainda poderiam ser nomeados a qualquer incumbência. Essa liminar foi feita depois um enviado que suspendeu a validade do concurso pretérito.

No entanto, a ação por secção dos candidatos foi derrubada na última quarta-feira, 9 de junho, e agora zero impede que um novo edital seja lançado.

O concurso TJ SP já tem até um secretária pré-definida, a Vunesp. O contrato entre as duas instituições foi renovado e, segundo informações, terá validade de um ano desta vez.

A Vunesp é contratada do TJ SP, já há qualquer tempo, para realizar qualquer concurso que fosse promovido pelo órgão e, recentemente, esse contrato passou por algumas alterações.

A mudança se deu na secção das inscrições para o próximo concurso TJ SP, que tiveram sua taxa aumentada: de R4 72 foi para R$ 79.

Essa modificação indica que um novo concurso pode estar para ser anunciado, o que vai de encontro com a asserção feita por Geraldo Franco, desembargador, sobre os trâmites para um novo concurso já terem sido iniciados.

Concurso TJ SP: Situação atual

O superintendente da Vunesp confirmou que as vagas que serão abertas, serão para o incumbência de Escrevente e que o quantitativo de oportunidades será bastante generoso.

Henrique Monteiro, o superintendente, disse ainda que as lotações das vagas ficarão para a 1ª e a 4ª regiões administrativas do Estado de São Paulo.

Outrossim, Monteiro disse que os trâmites do concurso estão avançados e que o teor que foi cobrado na última seleção não deve mudar muito, já que o TJ SP é um órgão mais conservador.

A previsão é de que o concurso seja ingénuo ainda neste primeiro semestre de 2021.

Quais são as atividades de um Escrevente?

O Escrevente Judiciário Técnico é o responsável pelas funções de pedestal administrativo para as unidades do Tribunal de Justiça e ao fórum.

Dessa forma, o Escrevente auxiliará e trabalhará lado a lado com juízes e promotores, muito porquê prestará atendimento a advogados e ao público.

No caso de o Escrevente ser eleito para trabalhar com um juiz, o serviço dele será fazendo digitação de dados e sendo responsável por documentos e dados de processos, a termo de testificar os trâmites jurídicos necessários.

Outrossim, esse funcionário também poderá atuar em cartórios civis ou criminais expedindo determinações de juízes, além de enunciar desde alvarás até mandados de prisão e diversos documentos jurídicos fundamentais.

Resumindo, o trabalho do Escrevente é extremamente necessário para o curso dos processos jurídicos.

Quanto ganha um Escrevente do TJ SP?

O incumbência de Escrevente dentro do Tribunal de Justiça de São Paulo
exige formação no Ensino Médio.

A fardo horária é de 40 horas semanais, ou 8 horas por dia, e a remuneração é ótima, considerando que é um incumbência de nível médio.

Os aprovados no concurso para Escrevente podem entrar ganhando R$ 6.112,10 (inclui auxílio-alimentação e auxílio-saúde), mas esse valor sobe conforme o Projecto de Incumbência.

Em 2018, por exemplo, o salário de um Escrevente poderia chegar a mais de R$ 18 milénio.

Além desse salário, os contratados podem receber um suplementar de conciliação com o nível de graduação:

  • Superior completo: suplementar de 5%;
  • Pós-graduação: suplementar de 7,5%;
  • Mestrado: suplementar de 10%;
  • Doutorado: suplementar de 12,5%.

Último concurso TJ SP

O último edital do concurso TJ SP foi lançado em 2017 e ofertou 590 vagas.

Na estação, os candidatos tiveram somente três meses entre a publicação do edital e a realização da prova.

Porquê de prática, a seleção contou somente com uma prova objetiva que foi dividida em dois blocos de caráter supressivo e classificatório e um terceiro de caráter classificatório.

Os aprovados na prova objetiva, foram convocados a fazer um teste de digitação, que foi a prova prática da edição do concurso.

Essa secção prática se constituiu em:

  • Digitação de um texto com, aproximadamente, 1800 caracteres em 11 minutos; e
  • Fazer a formatação de um texto com ferramentas básicas.

Essa secção da avaliação é a que menos elimina candidatos, mas é importante que o candidato treine.

Em 2018, 233.437 pessoas se inscreveram para realizar o concurso e, em um quadro universal, foram 395 pessoas concorrendo por uma vaga.

O que estudar para o novo concurso TJ SP?

Porquê o superintendente da Vunesp comentou, é improvável que o teor a ser estudado para esse verosímil novo concurso seja modificado desde a última seleção.

Por isso, fiz um apanhado sobre as matérias que foram cobradas no concurso de 2018 para que você, concurseiro, já possa iniciar sua preparação!

Conjunto de Questões I

Língua Portuguesa

  • Estudo, compreensão e tradução textual, muito
    porquê ponto de vista do responsável, estruturação do texto (relações entre ideias e
    recursos de coesão) e contexto;
  • Informações literais e inferências possíveis;
  • Sinônimos, antônimos e sentido próprio e tropológico
    das palavras;
  • Numeral, pronome, verbo, advérbio, preposição e
    conjunção;
  • Classes de palavras;
  • Concordância e regência verbal e nominal;
  • Colocação pronominal;
  • Pontuação e crase.

Conjunto de Questões II

  • Recta Penal;
  • Recta Processual Penal;
  • Recta Processual Social;
  • Recta Constitucional;
  • Recta Administrativo;
  • Normas da Corregedoria Universal da Justiça.

Conjunto de Questões III

  • Atualidades;
  • Matemática;
  • Informática;
  • Raciocínio Lógico.

ARTIGOS RELACIONADOS

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -