terça-feira, abril 20, 2021

Primeira vacinada na Bahia é internada com Covid-19 antes de receber a 2ª ração

- Publicidade -

A primeira pessoa vacinada na Bahia, a enfermeira Maria Angélica de Roble Sobrinho, 53 anos, pegou Covid-19 antes de tomar a segunda ração da CoronaVac. Ela apresenta quadro galeno firme e está internada no Instituto Couto Maia, referência em tratamento de doenças infectocontagiosas, em Salvador.

Maria Angélica (foto) foi hospitalizada com Covid-19 nesta terça (23) (Divulgação/Governo da Bahia)

A diretora-geral do Couto Maia, a médica infectologista Ceuci Nunes explicou ao portal G1 uma vez que é verosímil uma pessoa vacinada contrair Covid-19 posteriormente a primeira ração.

“O que aconteceu com Angélica é que ela pegou a doença posteriormente a primeira ração, mas antes da segunda ração. Ela ia tomar a segunda ração no dia 16 e, entre 12 e13, começou a sentir um mal-estar. Ela está muito, está usando pouco oxigênio, mas quando se movimenta fica um pouquinho desconfortável, por isso ela está sendo mantida ainda no hospital.”, disse Ceuci.

Segundo a médica, a imunização contra Covid-19 ocorre somente 20 dias posteriormente a segunda ração da vacina. Durante essa ‘janela imunológica’ o organização produz os anticorpos do imunizante.

“Não é à toa que a vacina são duas doses. Todas as vacinas, até o momento, a exigência é de duas doses. Exatamente porque na segunda ração se faz um reforço, aumenta a proteção. Evidente que algumas pessoas já vão ter a proteção posteriormente a primeira ração, mas essa proteção pode não ser suficiente e a segunda ração é necessária.”, explica Ceuci.

“Geralmente [a janela imunológica é de] no mínimo 15 dias. Para a vacina de Covid, a gente está falando de 20 dias depois da segunda ração, para você considerar que tem proteção”, completa a médica infectologista

Vacinados devem manter medidas contra Covid-19

Mesmo vacinada contra Covid-19, uma pessoa é capaz de transmitir o coronavírus, o que reforça a premência de manter “as medidas de proteção, de distanciamento e uso de máscara, até que a gente tenha 60 a 70% da população vacinada”, diz a médica Ceuci Nunes.

Apesar do caso de infecção posteriormente a primeira ração registrado na Bahia, Ceuci reforça a premência da vacinação em volume para controlar a pandemia de Covid-19.

“A única saída verosímil dessa pandemia é a gente utilizar a vacina. E não é porque uma pessoa teve posteriormente a primeira ração – simples que é uma pessoa que chamou atenção porque foi a primeira baiana a ser vacinada – que um número enorme de pessoas vai ter. Os casos são esporádicos, de pessoas que têm a doença mesmo posteriormente a primeira ração, que já dá um pouco de proteção”.

ARTIGOS RELACIONADOS

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -