quinta-feira, agosto 5, 2021

tenente revela detalhes e prazo das p…

- Publicidade -

O Corpo de Bombeiros de Minas Gerais tem autorização para perfurar um novo concurso com 166 vagas para nível médio. Desse totalidade, 145 serão para soldados e 21 para oficiais com salários de até R$9 milénio, no início da curso.

Em entrevista exclusiva à Folha Dirigida, o porta-voz da corporação, tenente Pedro Aihara, revelou prazos para o edital e provas e ainda trouxe outros detalhes sobre o concurso Bombeiros MG. Confira a seguir!

De conformidade com Aihara, o edital deve ser publicado em agosto com provas em dezembro. A intenção do Corpo de Bombeiros é que o curso de formação dos aprovados seja iniciado no primeiro semestre de 2022.

“A previsão está sujeita a algumas modificações. Por ser um processo público, tem a questão de licitação para escolha da secretária, por exemplo. Mas estamos trabalhando com um calendário mais seco provável para promover o concurso ainda nascente ano”, afirmou o porta-voz.

A escolha da secretária já está em curso. Porém, Aihara não adiantou o nome das instituições participantes da licitação. Ainda não há um prazo definido para contratação da organizadora, porém, a estimativa é que isso ocorra em breve.

Tenente Pedro Aihara é o porta-voz do Corpo de Bombeiros de
Minas Gerais (Foto: Soldado Wilhian Campos / CECOMSAER)

“Porquê a previsão é que o edital saia em agosto, estamos tentando fazer escolher a secretária o mais rápido provável para que não tenha nenhum tardada”, disse o tenente.

Do totalidade de oportunidades, o concurso Bombeiros MG terá 145 para soldados e 21 para oficiais. Em ambos os casos, para se candidatar será preciso ter o ensino médio completo, de 18 a 30 anos e fundura mínima de 1,60m (para homens e mulheres).  

Edital trará partilha das vagas para homens e mulheres

“Por força de lei, 10% das vagas são destinadas ao sexo feminino. No caso de oficiais, serão de duas a três vagas para mulheres e para soldados serão 14 ou 15 vagas destinadas ao sexo feminino”, garantiu Aihara.

O Corpo de Bombeiros oferece, em início de curso, salário inicial de R$4 milénio para soldado e de R$9 milénio para solene.

No caso da curso militar no estado, não é pago auxílio-alimentação ou auxílio-transporte. O que está previsto na legislação é a licença de suplementar de desempenho a cada cinco anos de até 10%.

“Tem também o abono fardamento que é pago uma vez ao ano, que equivale a um terço da remuneração. Além do suporte médico, odontológico e psicológico, fornecido pelo Instituto de Previdência dos servidores militares”, acrescentou o porta-voz da corporação.

Concurso CBM MG: estrutura de provas deve ser mantida

Os últimos concursos Bombeiros MG foram compostos pelas seguintes etapas: provas objetivas, provas discursivas, teste psicológico, teste de capacitação física e habilidades natatórias e revista toxicológico.

Para carreiras específicas, uma vez que para o quadro de especialistas, é provável que outras fases sejam aplicadas, uma vez que uma prova teórico/prática. Independente da curso, os aprovados em todas as etapas ainda são submetidos a um curso de formação.

Conforme informado pelo porta-voz da corporação, tenente Pedro Aihara, essa estrutura de provas deve ser mantida no próximo concurso.

“A tendência é que a gente mantenha a mesma estrutura com o curso de formação. O teor programático das provas também deve seguir o padrão, englobando matérias de ensino médio mais o teor de Direitos Humanos”.

Aihara ainda recomendou que o candidato “estude pelos editais anteriores, pois terá uma boa base do que pode ser cobrado”.

Você sabia que a Folha Dirigida também tem cursos preparatórios para concursos? A Folha Cursos dispõe de videoaulas, material escrito e questões comentadas para te ajudar no caminho até a posse.

Confira os cursos preparatórios e comece já seus estudos!

Aprovados iniciarão o curso de formação em 2022

O Corpo de Bombeiros tem a estimativa de convocar os 166 aprovados para o curso de formação no início de 2022. Todos serão chamados de uma única vez. Não há previsão de formação de um cadastro de suplente.

No concurso Bombeiros MG os aprovados são nomeados antes de ingressar no curso de formação. “Tanto para oficiais uma vez que para soldado, o autenticado no concurso já é considerado um militar durante o curso de formação e é remunerado”, explicou o tenente Pedro Aihara.

O curso de formação de soldados tem duração aproximada de sete a nove meses. Já o de oficiais dura três anos e funciona uma vez que um Bacharelado em Ciências Militares, com ênfase em gestão e prevenção de catástrofes.

“No caso de oficiais, o militar pode entrar com nível médio e trespassar com uma graduação”, frisou o porta-voz da corporação.

Lotação é escolhida posteriormente o curso de formação

Segundo o tenente Aihara, os concursos Bombeiros MG nunca são atrelados a uma cidade específica. A escolha da lotação só ocorre posteriormente o curso de formação.

“Próximo da formatura no curso de formação é feita uma estudo de quais são os locais que mais precisam de pessoas. Os melhores colocados terão preferência para escolher a lotação entre as unidades disponíveis. Ao longo da curso, sempre tentamos fazer um himeneu da corporação e o interesse do militar para onde tenha qualquer vínculo”, explicou.

O novo concurso para o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais tem dois objetivos. O primeiro é a reposição da força de trabalho. Há ainda a premência de equipar novas unidades da corporação que serão inauguradas.

“Para fazermos essa expansão precisaremos da capacidade humana, estamos terminando um curso de formação de 500 soldados, que já vão substanciar o efetivo desses locais. E, agora, foi autorizado pelo governo o novo concurso com 166 vagas para soldados e oficiais”, disse o tenente.

Ele completou: “Minas Gerais é o estado que mais tem municípios. Por isso, estamos sempre no movimento de inauguração de novas frações para conseguir diminuir o tempo de resposta. Estamos sempre tentando fazer concursos de forma regular para fazer frente a esse movimento de expansão”.

Saiba as diferenças das carreiras de soldado e oficiais

Além da remuneração, quais serão as diferenças das carreiras de soldado e oficiais do Corpo de Bombeiros de Minas? Folha Dirigida levou esse questionamento ao porta-voz da corporação, tenente Pedro Aihara.

Por mais que os dois cargos tenham os mesmos requisitos, na prática as atribuições são diferentes.

“O soldado está relacionado as ações de procura, salvamento, resgate, atendimento pré-hospitalar. Mas, sob um paisagem de realização das atividades. É efetivamente quem mais vai estar na rua atendendo as ocorrências do Corpo de Bombeiros”, especificou Aihara.

Já os cargos de oficiais também envolvem as atividades de procura, salvamento, resgate, mas sob uma perspectiva de coordenação e gerenciamento.

“Serão aqueles militares que estarão comandando as operações e gerenciando soldados na realização das atividades. Ou portanto em setores estratégicos da corporação, definindo questões uma vez que planejamento, de logística e a secção financeira”.

Aihara definiu que trabalhar no Corpo de Bombeiros é dinâmico e muito fácil de a pessoa se encontrar. “Se ela gosta de Contabilidade e Finanças, tem um setor sobre isso nos Bombeiros. Se a pessoa gosta de mexer com Informação Social vai ter um setor que poderá desempenhar essa função”, detalhou.

A corporação dispõe de planos de curso, em que os servidores podem ser promovidos por merecimento e antiguidade. “O militar também tem a possibilidade de fazer concursos internos e agilizar as promoções”, revelou o porta-voz.

Por termo, o tenente Pedro Aihara  pontou que o novo concurso Bombeiros MG deve ser concorrido e deixou a seguinte mensagem aos candidatos: “Se prepare, pois a cada ano temos relações candidato/vaga mais apertadas. Estude e se prepare com afinco”.

Confira a entrevista na íntegra sobre o concurso Bombeiros MG

Folha Dirigida: Qual é a valimento do concurso autorizado para os Bombeiros-MG com 166 vagas?

Pedro Aihara: Além de visar a questão da reposição, existe também um movimento de expansão da instituição. Hoje, nós atendemos todo estado, existem unidades em 76 municípios. E nascente ano nós estamos inaugurando mais 14 frações. Com isso, estaremos com presença direta em 90 municípios.

Para fazermos essa expansão precisaremos da capacidade humana, estamos terminando um curso de formação de 500 soldados, que já vão substanciar o efetivo desses locais. E, agora, foi autorizado pelo governo o novo concurso com 166 vagas para soldados e oficiais.

Minas Gerais é o estado que mais tem municípios. Por isso, estamos sempre no movimento de inauguração de novas frações para conseguir diminuir o tempo de resposta. Estamos sempre tentando fazer concursos de forma regular para fazer frente a esse movimento de expansão.

Porquê funciona a lotação dos aprovados nos concursos?

Próximo da formatura no curso de formação é feita uma estudo de quais são os locais que mais precisam de pessoas. E aí podem ou não ser essas frações recém-inauguradas. Belo Horizonte, por exemplo, uma vez que concentra a maior secção administrativa, pode ter uma premência maior.

É feita uma estudo na classificação do curso. As melhores colocadas terão preferência para escolher a lotação entre as unidades disponíveis. Ao longo da curso, sempre tentamos fazer um himeneu da corporação e o interesse do militar para onde tenha qualquer vínculo.

Os concursos nunca são atrelados a uma cidade específica. Essa escolha só ocorre posteriormente o curso de formação.

Essas 166 vagas vão suprir a atual premência de pessoal da instituição? Haverá formação de um cadastro de suplente? Há uma previsão de quantos vão figurar nesse cadastro de suplente?

Geralmente, os concursos do Corpo de Bombeiros não trabalham com cadastro de suplente. Mas, zero impede que futuramente tenha qualquer mudança nesse sentido.

Das 166 vagas, 145 serão para soldado e 21 para oficiais. Haverá distribuição dessas vagas entre homens e mulheres? Qual?

Sim. Por força de lei, 10% das vagas são destinadas ao sexo feminino. No caso de oficiais, serão de duas a três vagas para mulheres e para soldados serão 14 ou 15 vagas destinadas ao sexo feminino.

O senhor já revelou os requisitos: nível médio, de 18 a 30 anos e fundura mínima de 1,60m. Não será exigida CNH? A fundura mínima não será dissemelhante entre homens e mulheres?

Exatamente. É a mesma fundura para homens e mulheres. Não exige Carteira de Habilitação. Depois, com a ingressão do militar no Corpo de Bombeiros, ele pode até fazer licenciamento e tirar a carteira pelo próprio CBM.

Sobre o cronograma do concurso, a previsão é de publicação do edital em agosto, com provas ainda em 2021. Isso se mantém? Há uma data definida?

A previsão se mantém, mas está sujeita a algumas modificações. Por ser um processo público tem questão de licitação para escolha da secretária. Mas estamos trabalhando com um calendário mais seco provável para promover o concurso ainda nascente ano.

Nossa previsão é que o edital saia em agosto e as provas ocorram em dezembro. Com os cursos de formação acontecendo no início de 2022.

Já há uma secretária organizadora definida? Em julho sairá essa definição?

A escolha da secretária já está em curso. Mas ainda não temos uma empresa escolhida, estamos na lanço inicial de definição de escopo das propostas.

Sobre as etapas do concurso, serão as mesmas do edital anterior?  Ou seja, provas objetivas, discursivas, além de exames médicos, teste psicológico, teste de capacitação física e habilidades natatórias e revista toxicológico? Haverá um curso de formação?

Em relação ao formato está sujeito a algumas modificações. Mas a tendência é que a gente mantenha a mesma estrutura com o curso de formação.

A gente sempre sugere que o candidato estude pelos editais anteriores, pois terá uma boa base do que pode ser cobrado.

Sobre a prova objetiva, a estrutura e disciplinas serão as mesmas do último edital? O que pode antecipar sobre isso?

A tendência é que se mantenham as mesmas disciplinas e o teor programático que engloba matérias de ensino médio mais o teor de Direitos Humanos.

Qual é a previsão de desenlace do concurso e início do curso de formação? Já há uma previsão de contratação dos aprovados? Todos serão convocados de uma única vez ou será escalonado?

As turmas iniciarão no primeiro semestre de 2022. A intenção é que haja convocação dos 145 soldados e 21 oficiais de uma única vez.

Poderia falar um pouco das atribuições de cada curso? Quais as principais diferenças entre o soldado e o solene?

Na prática, o soldado está relacionado as ações de procura, salvamento, resgate, atendimento pré-hospitalar. Mas, sob um paisagem de realização das atividades. É efetivamente quem mais vai estar na rua atendendo as ocorrências do Corpo de Bombeiros.

Já os cargos de oficiais também envolvem as atividades de procura, salvamento, resgate, mas sob uma perspectiva de coordenação e gerenciamento. Serão aqueles militares que estarão comandando as operações e gerenciando soldados na realização das atividades. Ou portanto em setores estratégicos da corporação, definindo questões uma vez que  planejamento, de logística e a secção financeira.

Quanto ao curso de formação, o de soldados tem duração aproximada de sete a nove meses. Já o de oficiais dura três anos e funciona uma vez que um Bacharelado com ênfase em Prevenção de Catástrofes.

Em ambos os casos, o autenticado no concurso já é considerado um militar durante o curso de formação e é remunerado.

O senhor também informou a remuneração desses novos servidores: R$4 milénio para soldado e R$9 milénio para solene. Além do salário-base, a que outros benefícios esses servidores têm recta (auxílio-alimentação, auxílio-transporte, projecto de saúde, etc)?

No caso da curso militar no estado de Minas Gerais, não tem auxílio-alimentação ou auxílio-transporte. O que está previsto na legislação é a licença de suplementar de desempenho a cada cinco anos de até 10%.

Tem também o abono fardamento que é pago uma vez ao ano, que equivale a um terço da remuneração. Além do suporte médico, odontológico e psicológico, fornecido pelo Instituto de Previdência dos servidores militares.

Pode falar um pouco também do projecto de carreiras dentro da instituição? Em quanto tempo se alcança o vértice da curso?

Trabalhamos com promoções por merecimento e por antiguidade. Mas, todo militar que entra no Corpo de Bombeiros tem a possibilidade de atingir o último posto. É provável também fazer os concursos internos da corporação. Porquê curso de formação de sargentos, habilitação de oficiais. O militar terá oportunidade de fazer esses concursos internos e agilizar as promoções dele.

É provável um soldado ou solene ocupar cargos de chefia no horizonte?

Com certeza. Isso é o caminho proveniente dos militares. A medida que são promovidos, tenham uma experiência maior, podem ocupar os cargos de chefia.

Que mensagem pode deixar aos interessados no novo concurso?

Uma mensagem de incitamento. O Corpo de Bombeiros é a instituição com a maior credibilidade no país. Isso é fruto da nossa missão e da qualidade dos nossos servidores. Para mim, que estou no Corpo de Bombeiros há quase dez anos, é uma honra muito grande. É uma atividade muito gratificante, ter contato com a população, ajudar ao próximo.

É uma profissão dinâmica e muito fácil de a pessoa se encontrar. Se ela gosta de Contabilidade e Finanças, tem um setor sobre isso nos Bombeiros. Se a pessoa gosta de mexer com Informação Social vai ter um setor que poderá desempenhar essa função.

Sem falar que a curso de militar tem suas próprias vantagens. Com uma estrutura de seguimento médico, além das facilidades para aposentadoria. Mas é importante que a pessoa se identifique com a curso dos Bombeiros, que goste de ajudar o próximo, que seja resiliente, que saiba mourejar com situações desafiadoras, enfim, que tenha vocação.

Se prepare, pois a cada ano temos relações candidato/vaga mais apertadas. Estude e se prepare com afinco.

ARTIGOS RELACIONADOS

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -