quinta-feira, julho 29, 2021

Uepa discute ampliação da oferta de cursos de graduação e pós-graduação na região de integração do Xingu

- Publicidade -

Com o objetivo de discutir a ampliação dos cursos de graduação e pós-graduação da Universidade do Estado do Pará (Uepa), no campus IX, em Altamira, o reitor da Uepa, professor Clay Chagas, a vice-reitora, professora Ilma Pastana, e as professoras do Meio de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS) da instituição, Regina Carneiro e Clea Bichara, realizaram uma visitante técnica ao município da região de integração do Xingu do estado, entre os dias 12 e 14 de julho.

A primeira lanço da agenda de viagem foi com uma visitante ao campus da Universidade no município. Recebidos pelo coordenador sítio, professor Lair Freitas Rebento, o professor Clay e a professora Ilma puderam conversar com os servidores e ouvir os funcionários, em uma ação que visa tornar a reitoria da instituição presente em todos os campi.

Posteriormente, foram realizadas reuniões com autoridades locais. “A nossa teoria, ao fazer essa visitante, é para saber um pouco mais da cidade e saber a estrutura médico hospitalar, para verificar, com isso, quais seriam as melhores possibilidades da universidade em ofertar cursos de graduação, pós-graduação ou até mesmo gerar um sistema que pudesse levar alguns serviços na extensão da saúde”, explica o professor Clay.

A programação também contou com uma visitante técnica da equipe no Hospital Regional da Transamazônica (HRPT), que foi acompanhada pelo prefeito de Altamira, Claudomiro Gomes, pelo Secretário de Instrução, professor Maxcinei Pacheco, do diretor da 10º Coordenação Regional de Saúde da Secretaria de Estado de Saúde (Sespa), Waldecir Maia e pela direção do hospital.

Para Edson Primo, diretor Hospitalar do Hospital Regional Público da Transamazônica a visitante foi imprescindível para estreitar os laços da unidade com a instituição de ensino, além de discutir sobre a urgência da implantação de cursos na extensão da saúde.

“Somos referência para mais de 500 milénio pessoas da região do Xingu, e para continuar ofertando assistência segura e com qualidade, precisamos de profissionais comprometidos com a saúde. E nesta parceria com a Uepa, quem ganha é a população, que futuramente poderá recontar com mais profissionais qualificados nos atendimentos”, avalia o diretor.

Em seguida, a comitiva também foi ao Hospital Universal de Altamira (HGA) para saber as instalações, com a presença da Secretária de Saúde municipal, Romina Brito. A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e a Faculdade de Medicina da Universidade Federalista do Pará (UFPa) também estavam no roteiro.

 

Próximos passos

 

A implementação e ampliação de cursos de saúde em Altamira é uma demanda importante e uma das prioridades do governo atual, que segue trabalhando para que seja verosímil ampliar a rede de ensino superior na região.A partir de agora, será produzido um relatório e a elaboração de um projeto a limitado, médio e longo prazo.

“Existe uma grande possibilidade de criarmos residências médicas na região e isso já é um lucro”, afirma o professor Clay. Ofertar os cursos de Residência Médica e Residência Multiprofissional permite a formação de novos profissionais que tendem a se fixar no município e no entorno e que podem, no porvir, atuar tanto nos atendimentos à população, quanto porquê corpo docente de futuros cursos na extensão de saúde.

A médio prazo, o projeto visa que “os nossos residentes de Belém e Santarém possam fazer alguns módulos nos hospitais de Altamira, o que faz que exista maior capacidade profissional no município”, completa o reitor da Uepa. Outra proposta é a realização de um estágio rústico para os alunos da graduação da extensão de saúde, do campus IX da universidade.

“A longo prazo, temos a geração de novos cursos porque é preciso formar corpo docente, ver a infraestrutura do campus e pensar na questão de concursos”, conclui o professor sobre as perspectivas futuras para a expansão de graduação da Uepa na região do Xingu.

“Vamos trabalhar em um relatório e pensar nessas possibilidades. A gente já está pensando em concorrer a um edital na residência para no ano que vem já ter uma turma de residentes e o estágio rústico em breve”, conclui o professor Clay Chagas.

Texto: Marília Jardim/Ascom Uepa

ARTIGOS RELACIONADOS

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -